Mísseis ar-ar de combate aproximado, evolução histórica

Os mísseis ar-ar de combate aproximado nasceram como um sistema de armas pouco confiável que obrigava a aeronave lançadora a realizar sucessivas manobras com até 7 minutos de duração para encontrar uma solução de tiro. Hoje, porém, em sua quinta geração, eles podem engajar seus alvos apenas com o movimento da cabeça do piloto.

Ka-52 Alligator, o helicóptero coaxial de reconhecimento e ataque da Rússia

Pensado originalmente como um elemento de comando e controle para o helicóptero de ataque russo Ka-50, o Ka-52, com seu peculiar rotor coaxial e assento lado a lado, acabou selando a morte de seu gênese de assento único e tornando-se o helicóptero padrão de reconhecimento e ataque da Aviação do Exército Russo.

THAAD, o guarda-chuva antibalístico do exército americano

O Terminal High Altitude Area Defense (THAAD) é um sistema de defesa de mísseis balísticos com capacidade global de transporte, rapidamente destacável para interceptar e destruir mísseis balísticos dentro ou fora da atmosfera durante a sua fase terminal de voo.  A bateria THAAD é um sistema antimíssil especializado que compõem a camada intermediária do escudo antimíssil … Continuar lendo THAAD, o guarda-chuva antibalístico do exército americano

MFS-EW, o Sistema Multifuncional de Guerra Eletrônica do Gripen E/F

O MFS-EW do Gripen-E/F visa negar ou degradar a consciência situacional do inimigo, interferindo principalmente em seus radares. O objetivo é destruir a imagem distribuída e a consciência situacional do inimigo dentro do teatro de operações. Para obter o desempenho desejado, a Saab projetou uma arquitetura de guerra eletrônica integrada com base em várias tecnologias de ponta. 

Perspectivas de Moscou sobre a evolução da tecnologia furtiva dos EUA

O crescente número de aeronaves furtivas lançadas pelos Estados Unidos e seus aliados representa para a Rússia um desafio sem precedentes. No entanto, em vez de reconhecer o salto qualitativo na capacidade que uma frota cada vez maior e mais sofisticada de aeronaves furtivas traz consigo, analistas russos contemporâneos e altos oficiais militares optaram, em grande parte, por seguir uma tradição russa de longa data de minimizar publicamente a questão da utilidade da furtividade...

Raduga Kh-101/102, o “game changer” da Aviação de Longo Alcance da Rússia

O emprego operacional do novo míssil de cruzeiro russo Kh-101 nos últimos anos serviu para levantar o moral da Aviação de Longo Alcance da Rússia, que, mesmo desprovida de um bombardeiro furtivo de longo alcance, agora pode "derrubar a porta" do adversário com uma arma baixo observável de ultra longo alcance sem comprometer a integridade de seus bombardeiros.

Radar de varredura eletrônica

O radar de varredura eletrônica (ESA) foi o maior salto dos radares aeroembarcados desde o incremento da capacidade look-down/shoot-down (olhar e atirar para baixo) nos anos 70. Hoje, o ESA encontra-se operacional nos principais e mais avançados caças de linha frente, melhorando consideravelmente a capacidade de rastreamento contra alvos espaçados e com pequena assinatura radar.

MiG-25 vs. F-35, geração de energia e arquitetura energética do radar

O MiG-25 Foxbat foi um poderoso interceptador desenvolvido durante os anos 60 na extinta União Soviética, era caracterizado, dentre outras coisas, por um poderoso radar capaz de trabalhar com 600kW de potência. Mas como o MiG-25 conseguia operar com este nível de energia enquanto o F-35, que é focado na geração de energia, produz "apenas" 160kW em seus geradores?