Kh-31 (AS-17 Krypton), o míssil anti-navio/radar supersônico da Rússia

A família de mísseis supersônicos Kh-31 Krypton surgiu no final dos anos 80 na URSS com a versão antirradar Kh-31P, mais tarde complementada pelo míssil antinavio Kh-31A. Hoje, a família Krypton é a principal arma antinavio e antirradar das aeronaves táticas russas.

Por: Ricardo N. Barbosa

O desenvolvimento de novos sistemas antiaéreos baseados em solo na década de 1970, incluindo o US Patriot, resultou nos requisitos para um novo míssil antirradar para a União Soviética. Este precisaria oferecer maior velocidade, alcance e melhor resistência á interferência eletrônica. A fim de atender a esses requisitos, em 1977, a equipe de projetos da KTRV (Korporatsiya Takticheskoye Raketnoye Vooruzheniye) começou a trabalhar no míssil Kh-31 (projeto 77), X-31 em cirílico. Os primeiros testes de voo ocorreram em maio de 1982; a produção em série começou em 1987 na planta de produção da KTRV em Korolev. A produção do míssil terminou com o colapso da União Soviética. Ela foi retomada em 1997 para exportação para a Índia, China, Vietnã e Iêmen, e depois para a Rússia.

O elemento mais interessante no design do Kh-31 é o seu sistema integrado de propulsão por motor foguete/ramjet, o 31DPK (projeto 52), desenvolvido pela agência de projeto de motores Soyuz em Turayevo, nos arredores de Moscou. Ele combina um foguete de lançamento e aceleração (booster) 31DT-1 desenvolvido pela Kartukov Iskra e um motor de cruzeiro ramjet 31DP feito pela Soyuz. O Kh-31 é acelerado até Mach 1.8 pelo 31DT-1; quando o combustível sólido se esgota o booster é ejetado e o interior do corpo do míssil é transformado em uma câmara de combustão para o motor de cruzeiro ramjet 31DP, que acelera o míssil até Mach 3.5 a uma altitude de 16.000m (52.493ft) ou Mach 1.8 ao nível do mar. Quatro entradas de ar para o motor ramjet estão localizadas nas laterais do corpo do míssil. O míssil Kh-31 é lançado de um lançador de ejeção AKU-58. Várias opções de ogivas estão disponíveis, incluindo uma com carga nuclear TK-60.

Kh-31P (projeto 77P)

Nome de relatório da OTAN: AS-17A

Darl6jxW4AA2ow0 (1)

Foi a primeira e mais difundida versão, entrou em produção em série em 1987. O alcance máximo é de 110km; possui três cabeçotes de busca passiva intercambiáveis para alvos operando em diferentes bandas de frequência de radar, mais precisamente PRGS-4VP (L-111) contra o sistema de defesa antiárea HAWK, PRGS-5VP (L-112) contra o Nike Hercules e PRGS-6VP (L-113) contra o Patriot; também pode engajar radares marítimos; todos os buscadores foram desenvolvidos pela TsKBA em Omsk. A aquisição do alvo pode ser feita de modo automático, inclusive após o lançamento; ou através da designação da aeronave transportadora, antes do lançamento. A navegação inercial permite que a orientação continue, mesmo se o radar alvo for desligado (neste caso ocorre uma degradação significativa das chances de sucesso). Para uso em aeronaves mais antigas, o míssil requer a indicação do alvo por meio de um pod de designação especial; LO-90 Progress-N para o MiG-27 (agora retirado de serviço), P-80/LO-81 Phantasmagoria-A/B e posteriormente L-021 Etnografia para o Su-24M. Em aeronaves novas, essa função é obtida com os receptores de alerta radar Pastel SPO-32 (L-150) transportado in-board pelas aeronaves.

Kh-31PK (K para Kaplya; projeto 77PK) de 1995 é uma versão antirradar com fusível de proximidade Kaplya. Ela foi projetado para engajar com mais eficiência radares com antenas em arranjos deslocados para cima (até 15m de altura), que fazem parte de sistemas de defesa antiárea de médio e longo alcance e outros radares terrestres operando em bandas de frequência correspondentes. Tem uma ogiva mais eficaz e um peso de lançamento de 605kg.

Kh-31A (projeto 77A)

Nome de relatório da OTAN: AS-17B

198071

É uma versão antinavio do Kh-31P (visualmente idênticos), mas com o buscador por radar ativo RGS-31 (U-505) com um alcance de 30km. O buscador foi criado pela TsNPO Leninets (anteriormente NIIREK) em São Petersburgo, usando a experiência adquirida no desenvolvimento simultâneo do buscador U-501 para o Kh-32; o campo de observação é de ±20° em azimute e de +10°/-20° em elevação; funciona em dois modos de trancamento, antes e depois do lançamento. O alcance máxima do míssil está entre 50-70km (lançado respectivamente entre 10-15km de altitude).  O míssil também tem um rádio-altímetro A069 para fornecer voo preciso a baixas altitude (100-300m) sobre a água na fase terminal do engajamento (não possui perfil sea-skimming). O Kh-31A tem uma ogiva de penetração de 90kg ao invés do tipo explosivo/ fragmentação do Kh-31P; é capaz de atingir efetivamente alvos marítimos de superfície com um deslocamento de até 4.500 toneladas. O míssil possui vida útil de 35h de voo e/ou 10 decolagens e pousos. O Kh-31A entrou em produção em 1990 e foi o primeiro míssil antinavio tático destinado ao armamento de aeronaves de ataque da aviação de linha de frente da URSS/Rússia, os demais mísseis antinavio eram grandes demais para as aeronaves táticas de linha de frente.

M-31 (projeto 79)

Screenshot_20190310-112135

É um alvo supersônico para defesa antiaérea e treinamento; o míssil não tem buscador e nem ogiva. Os testes de voo ocorreram em 1989. MA-31 é uma versão do M-31 encomendada pela Marinha dos EUA (US Navy) em 1994 para avaliação de sua defesa antiaérea baseada em navios. Testes de voo começaram em agosto de 1996, com lançamentos a partir dos F-4 (QF-4, F-4D) Phantom II da US Navy. Um total de 13 mísseis foram entregues (em dois lotes, quatro mais nove); um outro contrato para 34 mísseis foi assinado, mas não foi realizado. Entre 1996-2003 foram realizadas 13 separações bem sucedidas, com 3 falhas pós-lançamento (duas na fonte de alimentação/ controle de combustível – Rússia; e uma na uma no piloto automático de substituição universal – EUA). Uma versão MA-31D com alcance estendido foi proposta, mas não foi concluída.

KR-1 (Kitay-Rossiya; China-Rússia)

94167_15024365662

O KR-1, conhecido como YJ-91 (Ying Ji – Ataque de Águia) na China, é uma versão do Kh-31P projetada especialmente para a China de acordo com um contrato de 1994. A Rússia entregou à China informações sobre a estrutura e motor do míssil. Alegadamente, o buscador foi adaptado para os requisitos chineses, provavelmente visando maior facilidade na troca dos cabeçotes de busca (na própria linha operacional) ou um buscador de banda larga no lugar dos três cabeçotes. Mais tarde, um lote de mísseis padrão Kh-31P e Kh-31A também foi vendido para a China. Os mísseis são usados pelos caças chineses JH-7A, J-8G e Su-30.

Kh-31PM (projeto 06); Kh-31PD (exportação)

Kh-31_Armia-2018_1

Representa a principal modernização do Kh-31P, entrou em produção em série em 2012. Tem um corpo muito mais longo que o Kh-31P (5.34m contra 4.70m) e mais reservas de combustível no motor de lançamento 31PMDT e no motor de cruzeiro ramjet 52PM. Um novo controle digital do motor também foi implementado. O alcance máximo do míssil foi aumentado para algo entre 180-250 km quando lançado a partir de 15.000m (49.213ft) a uma velocidade de Mach 1.5. Um novo buscador por radar-passivo de banda larga TsKBA 91-814 foi instalado no lugar dos cabeçotes intercambiáveis da versão anterior; o campo de observação é de ±15° (trancamento antes do lançamento) ou ±30° (trancamento após o lançamento). Um sistema de navegação inercial Ts-074UM também foi incluído. A ogiva é mais pesada (110kg contra 87kg). Esta versão ainda não foi flagrada em esquadrões operacionais, russos ou estrangeiros.

Kh-31AM (projeto 06-AD); Kh-31AD (export.)

IMDS-2011_73

É uma versão antinavio produzida pela KTRV como um empreendimento privado e baseada na estrutura, motores e sistema de navegação do Kh-31PM, mas com uma cabeça de busca com radar-ativo U505M (ME para exportação) desenvolvido por Leninets de São Petersburgo. O campo de observação (FoR) da cabeça de busca é de ±27° em azimute e +10°/-20° em elevação. Em relação ao Kh-31A o alcance máximo subiu para algo entre 120-160km (lançado a 15km de altitude a Mach 1.5); a ogiva é mais pesada (110kg universal contra 94kg penetrante). São necessários 2 acertos para fundar um destroyer e 1 certo para embarcações menores. O míssil possui vida útil de 70h de voo e/ou 15 decolagens e pousos. Esta nova versão possui dois perfis de voo, alto-baixo e alto-SeaSkimming; no perfil de voo alto-baixo, logo após o lançamento o míssil sobe em um ângulo entre 10-25° até 16.000m de altitude, depois desce em um ângulo de 35° até atingir o alvo (alcance máximo de 160km); no perfil alto-baixo o míssil sobe em um ângulo entre 10-25° até 16.000m de altitude, depois desce (na fase terminal) em um  ângulo de 35° até 3-5m de altitude acima do nível mar (sea-skimming) e segue em direção alvo (alcance máximo de 120km). Assim como o Kh-31PM, esta versão ainda não foi flagrada em esquadrões operacionais, russos ou estrangeiros.

Ficha técnica do míssil Kh-31Screenshot_20190316-093550

Galeria de imagens

000.jpgB0A6B421-F3F4-495E-A459-63D9A486973CDefault
Família Kh-31 Krypton: MA-31; Kh-31 padrão e Kh-31″M/D”.
H18A2736-2
Kh-31P/A, versão padrão e mais difundida da família Kh-31.
20120912084347150
O Kh-31P possui 3 tipos de cabeçotes intercambiáveis.
1280px-Seeker_of_Kh-31_missile 1
Cabeçote de busca PRGS-5VP (L-112) do Kh-31P
gsn5
Cabeçote de busca PRGS-4VP (L-111) do Kh-31P
IMG_3039
Perfil de voo alto/baixo e alto/sea-skimming do Kh-31AD.
186775
O Su-57 transportará a família Kh-31 em pilones externos.

Referências

 

 

2 comentários sobre “Kh-31 (AS-17 Krypton), o míssil anti-navio/radar supersônico da Rússia

  1. Inusitada a informação da venda desses mísseis para os EUA, o principal inimigo tendo condições de testar as características dinâmicas da míssil.

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s