A família de mísseis Kh-59

Raduga Kh-59 (projeto D9 ou projeto 106; designação na OTAN: AS-13 Kingbolt): é um míssil tático pesado destino a destruir pequenos alvos endurecidos com coordenadas previamente conhecidas. Ele entrou em produção seriada na fábrica de aviões Smolensk em 1980 e foi fabricado ao longo de vários anos (o Kh-59 foi construído usando alguns componentes do míssil kh-58, também produzidos em Smolensk). Alguns desses mísseis ainda permanecem no inventário russo equipando os bombardeiros Su-24M. O Kh-59 possui uma grande asa delta-cortada com lemes de direção e aletas estabilizadoras no nariz. Tem um motor foguete de aceleração inicial (booster) que é alijado após apagar, depois é impulsionado por um motor foguete de sustentação de combustível sólido que possui bocais de exaustão laterais e leva o míssil a uma distancia de até 40km. A orientação é inercial durante a fase intermediária e por comando-TV na fase terminal. O míssil só pode ser utilizado durante o dia e com bons níveis de iluminação e contraste.

Kh-59M (projeto D9M ou projeto 106M; exportação: Kh-59ME; designação na OTAN: AS-18 kazoo): esse é membro mais difundido dessa família de mísseis Kh-59, o mesmo é um míssil totalmente redesenhado com novo motor, maior alcance (115km) e uma ogiva duas vezes mais pesada. O Kh-59M entrou em produção seriada em Smolensk em torno de 1986 e ainda é fabricado em variantes mais atualizadas.

i00mm
Míssil Kh-59, Kh-59ME e Kh-59MK.

Para o voo cruzeiro, o Kh-59M é movido por um pequeno motor turbofan suspenso em um casulo sob a fuselagem do míssil, o Soyuz Moscow R95TP-300 (mais tarde R95TPM-300; esse motor foi originalmente criado para o míssil de cruzeiro estratégico Kh-55); o combustível está localizado dentro do corpo do míssil no lugar do motor foguete de cruzeiro que foi excluído. O booster de lançamento 9-TK-ID foi mantido na cauda por causa dos requisitos do sistema de orientação do míssil.

O míssil é guiado por um sistema de comando-TV Tekon-l dividido em duas partes; a parte T-IA do sistema é montada no míssil enquanto o T-IB está localizado no pod PK-59. Após o lançamento, o míssil segue em direção ao alvo controlado pelo piloto automático SNAU-59M. O míssil voa a uma altitude fixa de 50, 100, 200, 600 ou 1.000m sobre o solo, ou 7m sobre o mar, mantida por um radar altímetro RV-MG. A 10km do alvo, o buscador TV A-2-01M começa a procurar pelo alvo. O link de dados transmite a imagem de vídeo para o caça através do pod PK-59 (suas várias modificações incluem o APK-9, APK-9M, BPK-59M) suspenso na aeronave. O piloto ou operador do sistema de armas indica o alvo na tela no cockpit do caça; o sistema trava no alvo (como opção, o alvo ainda pode ser indicado manualmente pelo operador) e transmite os comandos de orientação de volta ao sistema de controle do míssil através do mesmo pod PK-59. O pod tem um peso de 260kg, comprimento de 4,0m e diâmetro de 450mm. 

kh59m
Um Kh-59M nas asas de um Su-30. O casulo de datalink APK-9 também está sendo levado.

Para estabelecer uma conexão para a transmissão de vídeo logo após o lançamento (o tempo é crítico, uma vez que o piloto quer evitar possíveis defesas aéreas hostis), o míssil precisa acelerar rapidamente à frente da aeronave de lançamento. Para este propósito, o booster foguete é necessário, o mesmo ‘entrega’ o míssil a cerca de 1.000m a frente da aeronave, na mesma altitude. Quando a conexão é estabelecida, o caça pode dar meia volta; a conexão é automaticamente transferida da antena da frente para a antena traseira do pod de datalink PK-59.

O míssil atinge o alvo com uma precisão declarada (probabilidade de erro circular) de 5-7m no modo de bloqueio automático ou 2-3m no modo manual. Estão disponíveis três opções de ogivas: penetração explosiva 9B-2347 com 320kg; submunição cluster 9V-2347 com 283kg; e uma ogiva nuclear.

O míssil Kh-59M, juntamente com o sistema de orientação por comando-TV Tekon-l (incluindo o pod PK-59M), constitui o sistema de armas Ovod-M (gadfly).

Kh-59M2 (D9M2, 106M2, oferecido para exportação como Kh-59M2E): essa variante difere da M em virtude de um novo buscador por TV ‘pouca-luz’ e pela adição de um receptor de navegação por satélite. O peso de lançamento aumentou ligeiramente para 960kg; outras características permanecem inalteradas. O Kh-59M2 está agora em produção em  Smolensk. Como padrão, o míssil é movido por um turbofan R95TM-300 fabricado pela planta Motor Sich em Zaporizhzhya, Ucrânia. Como opção, pode ser equipado com o motor turbofan TRDD-50AT (projeto 36MT) produzido pela NPO Saturn em Rybinsk, Rússia.

Part8_04
O projeto 36MT é o motor atual da linha Kh-59M2/MK.

No início dos anos 2000, a Rússia iniciou um programa para remover componentes ucranianos de seus sistemas de armas. A NPO Saturn lançou assim a produção de pequenos motores para mísseis que anteriormente eram alimentados por motores R95s da Ucrânia, incluindo o TRDD-50AT (projeto 36MT) do Kh-59.

Kh-59M2A (D9M2A; exportação: Kh-59MK): é um míssil antinavio com radar ativo ARGS-59 produzido pela Radar MMS; o buscador é uma versão ligeiramente adaptada do usado no míssil Kh-35 e, portanto, o nariz do Kh-59M2A tem um diâmetro de 420mm, 40mm maior que o corpo do míssil. As mudanças não estão limitadas ao buscador. O Kh-59M2A não possui um booster foguete (requerido no Kh-59M/M2 devido a limitações do sistema de orientação por TV); em vez disso, possui uma reserva de combustível muito maior para o motor de cruzeiro turbofan. Além disso, o alcance do link de dados de vídeo limitava o alcance das versões de TV, um problema evitado na versão de radar ativo. O alcance máximo do míssil é consideravelmente maior. O míssil voa até o alvo a uma altitude de 10-15m sobre a superfície do mar mantida por um novo radar altímetro A-079; perto do alvo desce para 4-7m. Um Kh-59M2A foi lançado pela primeira vez por um Su-30MK2 em 2004 e completou os testes estaduais em 2013. Atualmente o míssil é fabricdo pela Smolensk.

Kh-59MK2: é uma contraparte ao MBDA Storm Shadow destinado a destruir alvos pequenos e endurecidos com coordenadas conhecidas. Em sua primeira forma apresentada em 2009, o míssil MK2 era similar ao MK, exceto que no lugar do buscador de radar ativo era provido de um sistema de orientação derivado do míssil de cruzeiro estratégico Kh-555. Incluía navegação inercial corrigida por GPS/GLONASS na fase de cruzeiro e um sistema eletro-óptico de correlação de área por correspondência de cena digital (DSMAC) para uso próximo ao alvo, o DSMAC compara a imagem da região alvo com uma imagem digital na memória do míssil, esse sistema fornece uma precisão de 3-5m e atua de forma autônoma.

IMG_20180526_010834
O MK2 (2009) era muito similar às demais versões.

Em 2015, a Raduga apresentou um mock-up de outro míssil Kh-59MK2 que manteve o sistema de orientação anterior, mas apresentava uma nova fuselagem com formato retangular com dimensões combinando exatamente com o compartimento interno de armas central do caça PAK-FA, hoje Su-57, segundo as dimensões do míssil, teoricamente até dois poderiam ser instalados em cada baia, quatro no total, mas uma configuração operacional provavelmente será formada por um Kh-59MK2 e um míssil ar-ar R-77 por baia central.

144850583832
O Kh-59MK2 em formato retangular é dimensionado para permitir que se encaixe dentro da baia de armas do Su-57.

A fuselagem do Kh-59MK2 adota algumas medidas para diminuir a assinatura radar (RCS) no aspecto frontal, como motor dentro da fuselagem e seção frontal facetado. Uma asa rebatível é montado sobre fuselagem. A empenagem é composta por quatro aletas que ficam rebatidas ao lado do corpo antes do lançamento. O motor turbofan Saturn projeto 37-04 é montado dentro da parte traseira do corpo (em outros mísseis Kh-59M o motor é montado em uma nacele externa) e leva o míssil a até 290km, talvez mais na versão exclusiva para a Rússia.

IMG_20180527_1829492
A baia do Su-57 possui ∼4,5 x 1m e o míssil 4,2 x 0,4m. É apertado para 4 mísseis, mas teoricamente possível.

Segundo o Ministério da Defesa Russo o Su-57 testou com sucesso na Síria o lançamento do Kh-59MK2 a partir do seu compartimento interno de armas. A integração prioritária do míssil destaca a capacidade multifunção do Su-57 e oferece ao mesmo um elevado envelope de engajamento ar-solo, o que faz todo o sentido, já que o Su-57 não prioriza a redução de RCS da mesma forma que seus análogos de quinta geração.

Especificações da família Kh-59

Screenshot_20180526-0957202

Assinando: Ricardo N. Barbosa

————————————————————————————-

Rede Social

Facebook:https://www.facebook.com/tecnomilitar2/

You Tube: Canal Arte da Guerra  https://www.youtube.com/channel/UCNlCllCWYAtU7TzBNKwaMHw

Um comentário sobre “A família de mísseis Kh-59

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s